re.verb

cultura, crítica e tudo o mais

2011 Punk

em janeiro 10, 2011

 

Ano novo para alguns significa renovação, para outros apenas mais um dia no calendário; seja como for, entra ano e sai ano o que é bom deve permanecer – sejam os amigos de verdade, as comidas de que gostamos, as músicas que tocam em nossos carros há anos…

E há coisas tão boas que permanecem novas décadas a fio. Para mim, rock antigo é assim. Não que eu tenha tantas décadas de rock nas costas, mas escuto com tanta – ou mais – empolgação os “clássicos”, como as novas e imperdíveis bandas que surgem por aí.

2011 começou, para mim, com um ar meio punk….digo isso no melhor dos sentidos: punk rock para mim significa vitalidade, energia, a dose certa de revolta e a certeza de que, com nossas próprias mãos, é possível mudar as coisas para melhor.

 

Minha coletânea punk favorita - MUSICBROKERS

Para quem se ilude achando que foi Obama que cunhou a onda “Yes, we can”, so sorry, mas isso começou de verdade lá em meados de 1977, com Sex Pistols, Ramones e companhia…começou quando a sisudez britânica foi quebrada por um grito de guerra, entoado por jovens de cabelo espetado vestindo roupas rasgadas e esquisitas, que mandava a Rainha para as cucuias em “Anarchy in the U.K.”; ou quando um grupo de rock formado só por mulheres falava de sexo, drogas e rock’n’roll e jogava uma “ch-ch-ch-ch-ch-cherry bomb” no colo do mundo.

Isso porque o que pregavam era que, o que quer que fosse, cada um poderia fazer por conta própria e à sua maneira (como empunhar guitarras e montar uma banda de rock mesmo quando ninguém ali sabia cantar ou tocar mais do que três acordes); o espírito “do it yourself” do punk nada mais é do que a busca de milhares de jovens por um caminho próprio, novo, livre de amarras anacrônicas e sem sentido.

Sem entrar no mérito da medida em que isso era real ou marketing, do quanto isso era moda ou não, falo aqui é do sentimento-estopim para essa “revolução”; e o que deixo são meus sinceros votos para que, em 2011, cada um tenha um pouco mais de coragem – e raiva, por que não? – para liberar seu lado punk e levar sua vida mais à sua maneira – como Sid Vicious, aqui embaixo, mostrando para Frank Sinatra como se fazer as coisas cada um de seu jeito….

 

Boa semana para todos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: