re.verb

cultura, crítica e tudo o mais

Aridez no peito

em fevereiro 24, 2011

A versão dos irmãos Coen de Bravura Indômita (True Grit) não se baseou em uma história em quadrinhos. Se, contudo, eu nada soubesse e alguém me dissesse que foi, acreditaria.

Com personagens caricatas e situações as mais pitorescas (como uma sessão de tiro ao alvo com broas de fubá, e cobras cascavéis saindo de um cadáver ao fundo de uma caverna…), a adaptação dos Coen ao livro homônimo de Charles Portis, escrito em 1968 (já adaptado às telas em 1969, e publicado recentemente em português pela editora Alfaguara Brasil) é tão viva e repleta de imagens marcantes, que é antes uma graphic novel que um western.

Como no livro, o filme é narrado em primeira pessoa por Mattie Ross (Hailee Steinfeld), uma garota resoluta de 14 anos que, após a morte do pai, resolve contratar Rooster Cogburn (Jeff Bridges), um caçador de recompensas (vulgo matador de aluguel), para encontrar e prender o assassino.

Na visão dos Coen, a garota é assustadoramente adulta e séria –uma advogadazinha em miniatura – e em tudo contrasta com o rabugento e beberrão Cogburn. Contrasta também com La Boeuf (Matt Damon), um Texas Ranger engomadinho que cruza e descruza o caminho dos dois, na perseguição pelo mesmo alvo: Tom Chaney.

A tese de que o filme poderia facilmente ter saído dos quadrinhos, no entanto, esbarra na falta de mocinhos e vilões; na fronteira nebulosa entre heróis e bandidos.

Não há ali qualquer impedimento ético ou moral na busca pelo objetivo – seja dinheiro, ou vingança – e corpos pelo caminho são meros efeitos colaterais.

Por outro lado, em jogo há também honra, lealdade; há preocupação com o próximo – desde que lute pela mesma causa – e até, de vez em quando, algo que poderia ser o gérmen do que normalmente se chama de carinho.

Não há, assim, homens bons e homens maus; há seres humanos com instintos e necessidades. Estes, diante da aridez do deserto e da falta de um tostão no bolso, perdem o refinamento e o verniz dos bons modos, mas mantêm no peito corações inflamados – ainda que ligeiramente secos.

 

(Bravura Indômita, True Grit, de Joel David Coen e Ethan Jesse Coen)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: