re.verb

cultura, crítica e tudo o mais

Saint Patrick’s Day

em março 17, 2011

Hoje, dia 17 de março, é comemorado o Saint Patrick’s Day, dia do santo padroeiro da Irlanda nascido em meados dos anos 400 depois de Cristo. Reza a lenda que, naquele local, as festividades ocorrem desde o século XVII – e que sua origem é estritamente religiosa.

Surpreendentemente, passado tanto tempo – e como se não bastassem todos os padroeiros homenageados no Brasil – aqui também se resolveu prestar reverência ao tal santo estrangeiro; o dia de hoje certamente será comemorado também em português.

O motivo? Sincretismo religioso; miscigenação de culturas; receptividade a tradições alheias…? Pode até ser… mas, se tivesse que apostar minhas fichas em uma palavra, seria: cerveja.

Ninguém precisa de pretexto para tomar uma cervejinha, mas quando se acha um bom motivo, tanto melhor. Por isso, em pleno Saint Patrick’s Day, o re.verb presta uma homenagem aos irlandeses e aos bebuns do Brasil: um brinde ao som da nossa playlist etílica.

Eu Bebo Sim”, versão de Elza Soares com Monobloco – Para aquecer, o clássico dos clássicos; o hino da boemia: “Eu bebo, sim e estou vivendo; tem gente que não bebe e está morrendo, eu bebo sim”.

A Praieira”, Nação Zumbi – Se Chico Science era um gênio, seus ensinamentos não deveriam ser desprezados… (“No caminho é que se vê a praia melhor pra ficar, Tenho a hora certa pra beber: Uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor”).

Drinking Wine in the Afternoon”, Franz Ferdinand – O almoço passou e você continua bebendo? “Drinking wine, drinking wine in the afternoon, do-do do-dooo”…

Drunk Girls”, LCD Soundsystem – O Ministério da Saúde adverte: “Drunk girls know that love is an astronaut (Drunk girls) It comes back, but it’s never the same (…) Drunk girls can be just as insane”. 

On the Other Side”, The Strokes – ah, as miragens e embaralhamentos que o álcool provoca: “I hate them all, I hate them all, I hate myself for hating them. So I’ll drink some more, I’ll love them all, I’ll drink even more, I’ll hate them even more than I did before”.

Toothless turtle”, Holger – E ao longo de toda a noite, até o dia seguinte, tudo permanece embaçado… “drinking coke and coffee makes me feel better after a long night of tequila and strong pepper”.

Rehab”, Amy Winehouse – Por mais previsível que seja, citar músicas alcoolicas sem falar daquela que tem bebida até no sobrenome é impossível. Dentre tantas faixas exemplares da musa trash, fica aqui aquela que contém a frase oficial de toda ressaca: “I don’t ever wanna drink again…”.

Para finalizar e permanecer neste clima meio ébrio, fica aqui uma das frases mais geniais e elogiosas que um homem já disse sobre uma mulher  – quem sabe sirva de inspiração para a na noite de hoje:

O que um homem vê bêbado nas outras mulheres, vê sóbrio em Greta Garbo

(Kenneth Tynan, em A Vida Como Performance – Perfis, Companhia das Letras.)

Cheers!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: